quinta-feira, 17 de abril de 2014

Situação de crianças e adolescentes é gravíssima na Nigéria

Declaração de Manuel Fontaine, diretor regional do UNICEF para a África Ocidental e Central
Dacar/Nova Iorque/Genebra, 16 de abril de 2014 – O UNICEF condena veementemente o rapto de cerca de 100 meninas, entre 12 e 17 anos, de um colégio interno, em Chibok, no Estado de Borno, ocorrido na noite da segunda-feira passada, e apela por sua libertação imediata e incondicional.
O UNICEF está extremamente preocupado com a persistência dos ataques contra escolas na Nigéria. No último mês de fevereiro, atiradores não identificados mataram 53 adolescentes, entre 13 e 17 anos, no Colégio do Governo Federal em Buni Yadi, no Estado de Yobe.
Tais atos de violência brutal são inaceitáveis. Os ataques a escolas privam as crianças do seu direito à educação num ambiente seguro e comprometem o seu futuro. Onde quer que aconteça, o rapto de crianças é um crime e viola a legislação internacional.
O ataque da última segunda-feira na escola de Chibok ocorreu horas depois de 70 pessoas terem sido mortas num ataque a bomba numa estação de ônibus em Nyanyan, perto da capital Abuja.
O UNICEF expressa a sua profunda solidariedade para com todas as comunidades afetadas por esses atos terríveis e junta-se às famílias das meninas raptadas nesta hora difícil. A agência da ONU pede um reforço das medidas para proteger todas as crianças do país.
O governo nigeriano deveria tomar medidas urgentes para que as crianças regressem às suas famílias sãs e salvas e que possam continuar a sua educação num ambiente seguro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário