sexta-feira, 29 de junho de 2012

Pensamentos de um menino observando a fogueira

As cores do fogo e várias outras coisas
Reflexões de Bruno Vieira Volpi, 9 anos, diante de uma fogueira numa noite estrelada de 23 de junho de 2012 na Chácara das Cores, gentilmente anotadas por Loreni Schenkel.
Suas chamas fazem fluir a vida.
O fogo é como se a gente visse, vendo sua alma gêmea.
Suas cores fazem fluir seu coração.
Suas cores amarelo, azul e verde.
A fumaça é o espírito do fogo.
As folhas que caem perto são queimadas com alegria.
A felicidade do fogo é como se fosse humana, pois anda por todos os lados e sentimentos.
Seu azul representa o filho da chama maior que vai se transformando em um chama melhor e com mais força.
Quando a madeira queima surge uma nova forma de vida, transformando ela em cinzas de alegria.
Suas cinzas é madeira antiga que foi muito feliz.
Quando o fogo é cercado por pedras é como se fosse trancado numa prisão. Quando se tira as pedras e se coloca a fonte nova de energia para queimar faz fluir uma nova vida.
Os galhos queimados dos troncos das árvores dão força ao fogo.
As vezes o fogo faz travessuras para você. Quando você para de prestar atenção ele fica triste e quando você volta ele queima com chamas cheias de alegria.
A madeira queimando dá uma força gigante para ele como se fosse uma corrida para ele chegar ao seu destino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário