sábado, 2 de abril de 2011

Esporte Seguro e Inclusivo

Envolver os adolescentes na construção de políticas públicas de garantia do direito ao esporte e nas decisões sobre a herança social que os megaeventos esportivos devem deixar para o Brasil. Criar uma rede nacional de adolescentes pelo Direito ao Esporte Seguro e Inclusivo. Esses são os objetivos do Encontro dos Adolescentes pelo Direito ao Esporte Seguro e Inclusivo, que será realizado nos próximos dias 6 e 7 de abril no Sesc-Tijuca, no Rio de Janeiro.

O evento reunirá brasileiros de 14 a 17 anos vindos das 12 cidades-sede da Copa do Mundo em 2014 para discutir temas relacionados ao direito ao esporte, o legado social e a participação dos adolescentes nos preparativos da Copa de 2014 e dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016.

Ao longo do evento, os adolescentes participarão de oficinas e discutirão esses temas com atletas e especialistas. Ao final do encontro, entregarão à Secretária Nacional de Desenvolvimento do Esporte e do Lazer, Rejane Penna Rodrigues, à Secretária Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente, Carmen Silveira de Oliveira, e às demais autoridades presentes uma proposta para a construção de um legado social dos megaeventos, que promova a inclusão social e a garantia dos direitos de crianças e adolescente brasileiros.

Em parceria com o Ministério do Esporte, a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, o Sesc Rio, o Centro de Promoção da Saúde (Cedaps), o Instituto Esporte & Educação (IEE) e o Instituto Internacional para o Desenvolvimento da Cidadania (Iidac), essa iniciativa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) pretende envolver, desde já, os adolescentes brasileiros nas discussões sobre o legado social dos megaeventos esportivos. Será a primeira vez que adolescentes de um país organizador de grandes eventos esportivos são chamados a refletir, com os adultos, sobre o legado social dessas iniciativas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário