segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Minas Gerais e o assassinato de adolescentes

Reportagem de Fernando Zuba e Clarissa Carvalhaes no jornal Hoje em Dia, edição de hoje (31/01/11) revela tragédia silenciosa do assassinato de adolescentes em conflito com a lei.

Segundo a matéria "Nos últimos três anos, 30 adolescentes infratores morreram sob responsabilidade do poder público em Minas Gerais. Destes, pelo menos 18 foram assassinados enquanto estavam encarcerados ilegalmente em cadeias ou presídios. Outros 11 homicídios ocorreram no interior de Centros de Internação Provisória (Ceips). Em 2009, a Rede Nacional de Defesa do Adolescente em Conflito com a Lei (Renade) fez levantamento que identificou a existência de 208 adolescentes privados de liberdade em unidades prisionais em todo o Estado.

De acordo com a promotora Andréa Mismotto Carelli, que coordena o Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça da Infância e da Juventude de Minas Gerais (CAO/IJ), farta documentação comprova que, entre 2008 e 2010, nove adolescentes foram assassinados enquanto estavam presos ilegalmente em cadeias ou presídios.

Mas o número de óbitos pode dobrar. A promotoria investiga a morte de mais nove adolescentes que estavam em estabelecimentos de privação de liberdade mantidos pelo poder público. "Estamos concluindo este diagnóstico, que também vai apontar quantos adolescentes com sentenças condenatórias a cumprir estão em liberdade", disse a promotora. O levantamento indica que 11 adolescentes foram assassinados enquanto estavam recolhidos em Ceips e uma menina foi morta em regime de semiliberdade.

A Subsecretaria de Atendimento às Medidas Socioeducativas (Suase) da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) informou que desconhece a ocorrência das 30 mortes de adolescentes infratores sob a responsabilidade do poder público em Minas Gerais. Mas afirmou que fará um levantamento dos últimos quatro anos em unidades prisionais e cadeias junto ao sistema prisional e à Polícia Civil. A Suase alegou que o número apresentado pelo Ministério Público será apurado e divulgado."

Veja a reportagem completa em:

www.hojeemdia.com.br/cmlink/hoje-em-dia/minas/trinta-adolescentes-infratores-mortos-nas-m-os-do-estado-1.233879

A difícil situação da infância na Guatemala

Mesmo com uma redução expressiva no número de mortes violentas na Guatemala em 2010, o país dá indícios de que ainda precisa melhorar no que diz respeito ao combate à violência. Todos são afetados, mas, muitas vezes, é sobre as crianças e adolescentes que recai o fardo mais pesado, pois quando estas não são atingidas diretamente, ficam órfãs.

Segundo denúncia do Movimento Social pelos Direitos da Infância, Adolescência e Juventude na Guatemala; nos 20 primeiros dias deste ano já foram registradas quatro mortes violentas de crianças, outras três ficaram feridas apenas na capital, cidade da Guatemala. Nesta proporção, o país corre o risco de apresentar, neste ano, índices superiores aos registrados em 2010, quando foram assassinadas 57 crianças, duas delas tendo sido massacradas.

Os números deixam claro que o direito à vida está sendo roubado de um grande número de crianças e adolescentes guatemaltecas. A situação é ainda mais grave pelo fato de que estas, quando não são vitimadas diretamente, são afetadas pela perda dos pais.

Em virtude disso, o Movimento Social pelos Direitos da Infância, Adolescência e Juventude manifesta seu rechaço e de suas organizações membros "ante as cenas desumanas de morte, onde as crianças são os primeiros espectadores com o risco de que para elas isto se converta em uma situação normal e em uma aprendizagem replicável”.

Os casos de abuso e maus tratos físicos também são recorrentes dentro das próprias famílias e no âmbito das escolas e instituições de proteção à criança e ao adolescente. De acordo com denúncia da Comissão Nacional contra o Mau-trato e Abuso Sexual Infantil (CONACMI), um adolescente de 15 anos que frequentava pela primeira vez a Escola Pedro José Valenzuela, na cidade da Guatemala, foi violado, na hora do recreio por cerca de cinco alunos da mesma escola. A violência foi presenciada por outros estudantes, mas ninguém pode pedir ajuda por causa das ameaças de morte feitas pelos infratores.

Como se não bastassem os problemas relacionados à violência, a Guatemala também bate recordes no quesito desnutrição infantil. Entre os países da América Latina, o país ocupa o primeiro e em nível mundial o quarto lugar, nos índices de desnutrição. No ano passado, foram registrados 2.006 casos de morte de crianças menores de cinco anos por desnutrição e fome. Para o Movimento Social pelos Direitos da Infância os dados mostram que os esforços empreendidos pelo governo foram apenas paliativos que não resolveram a pobreza.

Para tentar acabar ou minimizar os efeitos do flagelo da violência e da miséria, o Movimento Social e suas organizações estão fazendo um apelo às autoridades da Guatemala para que resolvam com agilidade a crise alimentar que se incrementa a cada dia no país. Pedem também a aplicação das leis por meio do Sistema de Justiça e o funcionamento das instâncias responsáveis pela proteção de crianças e adolescentes.

Para que a população guatemalteca volte a conhecer a paz e a segurança, também se faz necessário o desenvolvimento de políticas e programas de prevenção, por meio dos quais se restitua às crianças e adolescentes direitos básicos como saúde, educação e segurança. Um compromisso com a geração de oportunidades de trabalho digno para as famílias também deve ser firmado a fim de que os pais tenham a plena condição de oferecer aos filhos e filhas uma vida decente.

Natasha Pitts - Jornalista da Adital - no site da Adital

sábado, 29 de janeiro de 2011

Infância e mudança climática




Foto de KADIR VAN LOHUIZEN | 27-01-2011- El Pais - Mudança climática no Brasil

As crianças precisam dormir bem

Crianças que dormem menos do que seus pares podem estar em maior risco de níveis anormais de glicose sanguínea e outros problemas metabólicos.

Pesquisadores estudaram os padrões de sono de 308 crianças dos 4 aos 10, metade delas com sobrepeso ou obesidade. Eles usaram monitores de pulso para medir o seu tempo de sono durante sete dias, e fizeram exames de sangue para os indicadores de risco cardiovascular, como glicose, lipídios, insulina e proteína C-reativa.

O estudo, publicado na edição de fevereiro do periódico “Pediatrics”, descobriu que a obesidade e exames de sangue anormais foram quatro vezes mais comuns em crianças que dormiam menos, três vezes mais comum naquelas que usaram o fim de semana para recuperar o sono perdido durante os dias de escola .

"Não podemos descartar que as crianças podem ter se tornado obesas e, em seguida, começaram a dormir menos. Mas é improvável." disse o Dr. David Gozal, o coordenador do estudo.

Entre todas as crianças, obesas ou não, um sono mais curto e maior variabilidade nos padrões de sono tem maior possibilidade de estarem associados com testes sanguíneos anormais. Os pesquisadores concluíram que o sono irregular, por si só pode ser um fator de risco para distúrbios metabólicos.

"Nós sempre acabamos sacrificando o sono por qualquer outra atividade que queremos fazer", disse o Dr. Gozal, professor de pediatria na Universidade de Chicago. "Mas, como pais, devemos estar muito atentos à preservação do tesouro que é o sono. - Que significa saúde para o cérebro das crianças e seus corpos, sua felicidade e seu bem-estar"

Veja reportagem completa do New York Times em http://nyti.ms/hpXuaa

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

CNJ encontra 200 adolescentes detidos irregularmente em presídios

Fiscalização em 13 estados constatou a existência de adolescentes detidos irregularmente em presídios. Presos em contêineres, adolescentes em presídios, estruturas precárias e pessoas doentes misturadas a sadias fazem parte do retrato do sistema prisional brasileiro traçado por relatórios do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), órgão de controle externo do Poder Judiciário. A superlotação é a maior falha e potencializa outros problemas, segundo o conselho. O CNJ constatou falta de opção de trabalho e educação, celas sujas e escuras, denúncias de tortura e adolescentes presos. O relatório cita prisões estaduais com mais presos do que vagas. Há relatos de doentes misturados com pessoas sadias na penitenciária Francisco D'Oliveira Conde (AC) e de detentos dormindo no chão da cozinha na cadeia de Tocantinópolis (TO). O CNJ encontrou também cerca de 200 adolescentes detidos irregularmente em presídios de Minas Gerais.
[Folha de S. Paulo (SP), Felipe Luchete e Fábio Freitas – 27/01/2011]

Imagens de crianças no mundo


Meninas no Haiti se preparam para na cerimônia da primeira comunhão. Em um processo de reconstrução difícil como o Haiti está vivendo, a imagem das meninas apresenta-se como uma pequena esperança de que uma volta à normalidade é possível.

A foto é do El País e no link abaixo você encontra outras imagens interessantes:

http://www.elpais.com/articulo/cultura/Imagenes/pobreza/Latinoamerica/elpepuintlat/20110126elpepucul_14/Tes


Adolescentes em trabalho semelhante ao escravo em SC

Onze crianças e adolescentes, com idade entre 12 e 16 anos foram resgatadas de trabalho semelhante ao escravo, no município de Rio Negrinho, em Santa Catarina. Na mesma operação, 12 adultos também foram libertos. De acordo com o Ministério Público do Trabalho (MPT), eles atuavam na colheita do fumo e na aplicação de agrotóxicos sem o uso de equipamentos de proteção.

Os menores eram transportados em uma caçamba de trator que os recolhia em casa às seis horas da manhã e só retornavam às oito da noite. O trabalho em plantações de fumo é proibido para menores de 18 anos, pois provoca câncer e outras doenças degenerativas, segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT).

De acordo com o MTE, os trabalhadores adultos não possuíam registro em carteira, não faziam o descanso semanal remunerado, nem gozavam dos demais direitos trabalhistas. O empregador não disponibilizava banheiro para os funcionários e os alimentos fornecidos nas refeições eram estocados junto aos agrotóxicos.

O proprietário da fazenda foi autuado pelos mesmos motivos há dois anos. Dessa vez, deverá desembolsar R$ 60 mil, referentes ao pagamento de verbas rescisórias. Além disso, cada trabalhador receberá aproximadamente R$ 1 mil de indenização por danos morais.

Segundo dados da Comissão Pastoral da Terra, somente no Brasil existem aproximadamente 25 mil trabalhadores que vivem como escravos.

De São Paulo, da Radioagência NP, Jorge Américo.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Alimentos gordurosos, com muito sal, açúcar e marketing enganoso ameaçam saúde de crianças

Crianças em todo o mundo estão expostos a comercialização de alimentos ricos em gordura, açúcar ou sal, que aumenta o potencial das novas gerações par o desenvolvimento de doenças não transmissíveis durante a sua vida. A Organização Mundial de Saúde está pedindo aos países que tomem medidas para reduzir a exposição do marketing, para as crianças através da implementação de um conjunto de medidas aprovado internacionalmente. A publicidade televisiva é responsável por uma grande fatia do mercado de alimentos insalubres e, de acordo com revisões sistemáticas das evidências, as propagandas influenciam as preferências alimentares das crianças, os pedidos de compra e padrões de consumo. Em maio de 2010, os Estados-membros da OMS aprovaram um novo conjunto de recomendações sobre a comercialização de alimentos e bebidas não alcoólicas a crianças. As recomendações dirigem-se como uma chamada para a ação nacional e internacional para reduzir a exposição das crianças a mensagens de marketing que promovam os alimentos ricos em gorduras saturadas, ácidos e gorduras trans, açúcares livres ou sal, e para reduzir o uso de técnicas poderosas para comercializar esses alimentos para as crianças .
"As doenças não transmissíveis, como doenças cardiovasculares, câncer e diabetes, representam hoje uma ameaça principal para a saúde humana e ao desenvolvimento socioeconômico", diz o Dr. Ala Alwan, da OMS Diretor-Geral Adjunto de Doenças Não Transmissíveis e Saúde Mental. "A implementação destas recomendações devem ser parte dos esforços gerais para evitar dietas pouco saudáveis. - Um fator de risco para diversas doenças não-transmissíveis"

Os dados da OMS mostram que 43 milhões de crianças em idade pré-escolar em todo o mundo são obesos ou com sobrepeso. Estudos científicos também têm demonstrado que uma parcela significativa da publicidade televisiva às quais as crianças estão expostas promove produtos alimentícios "não essenciais"que são de baixo valor nutricional. Má alimentação é um dos quatro fatores comuns associados com as quatro principais doenças não transmissíveis (câncer, diabetes, doenças cardiovasculares e doenças pulmonares crônicas), que são responsáveis por cerca de 60% das mortes em todo o mundo, ou mais de 35 milhões de pessoas anualmente. Mais de 9 milhões de mortes são prematuras (pessoas que morrem antes de completarem 60 anos de idade) e poderia ter sido evitada através de medidas de baixo custo em que o mundo hoje sua disposição, incluindo medidas para impedir a utilização do tabaco, reduzir o uso nocivo do álcool, e para promover dietas saudáveis e actividade física.

Os preparativos estão em curso para as Nações Unidas primeira Assembléia Geral Reunião de Alto Nível sobre a Prevenção e Controle de DNT, que será realizada em 19-20 de Setembro de 2011 em Nova York. Chefes de Estado e de governo estão sendo convidados para a Reunião de Alto Nível, que incidirá sobre a saúde, desenvolvimento e impactos socioeconômicos de doenças não transmissíveis, particularmente no mundo em desenvolvimento.

Veja o original em inglês no site da OMS:
http://www.who.int/chp/media/news/releases/2011_1_marketing/en/index.html

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Crianças do Haiti agradecem brasileiros e brasileiras


UNICEF no Haiti encaminha agradecimento especial pela solidariedade demonstrada pelos brasileiros e brasileiras no apoio aos Haitianos após o terremoto de 12 de janeiro de 2010. Este sentimento é compartilhado por milhões de Haitianos que direta ou indiretamente foram beneficiados pela ajuda. A maneira que as crianças encontraram de agradecer àqueles que trouxeram a esperança de um futuro melhor foi o envio de alguns cartões. A figura ao lado é uma cópia de um dos cartões enviados .

Obrigação de notificar violência contra a criança

A partir desta quarta-feira, os profissionais de saúde e de estabelecimentos públicos de ensino estão obrigados a notificar as secretarias municipais ou estaduais de Saúde sobre qualquer caso de violência doméstica ou sexual que atenderem ou identificarem.

A obrigatoriedade consta da Portaria nº 104 do Ministério da Saúde, publicada hoje, no "Diário Oficial da União" --texto legal com o qual o ministério amplia a relação de doenças e agravos de notificação obrigatória.

Atualizada pela última vez em setembro de 2010, a LNC (Lista de Notificação Compulsória) é composta por doenças, agravos e eventos selecionados de acordo com critérios de magnitude, potencial de disseminação, transcendência, vulnerabilidade, disponibilidade de medidas de controle e compromissos internacionais com programas de erradicação, entre outros fatores.

Com a inclusão dos casos de violência doméstica, sexual e outras formas de violência, a relação passa a contar com 45 itens. Embora não trate especificamente da violência contra as mulheres, o texto automaticamente remete a casos de estupro e agressão física, dos quais elas são as maiores vítimas. A Lei 10.778, de 2003, no entanto, já estabelecia a obrigatoriedade de notificação de casos de violência contra mulheres atendidas em serviços de saúde públicos ou privados.

Segundo o Ministério da Saúde, a atualização da lista ocorre por causa de mudanças no perfil epidemiológico e do surgimento de novas doenças e também da descoberta de novas técnicas para monitoramento das já existentes, cujo registro adequado permite um melhor controle epidemiológico. Na última atualização haviam sido acrescentados à lista os acidentes com animais peçonhentos, atendimento antirrábico, intoxicações por substâncias químicas e síndrome do corrimento uretral masculino.

A Portaria nº 104 também torna obrigatória a notificação, em 24 horas, de todos os casos graves de dengue e das mortes por causa da doença às secretarias municipais e estaduais de Saúde. Também devem ser comunicados todos os casos de dengue tipo 4. As secretarias, por sua vez, devem notificar as ocorrências ao Ministério da Saúde.

PRIVACIDADE

O presidente do Sindicato dos Médicos do Distrito Federal, Marcos Gutemberg Fialho da Costa, destaca que as notificações de doenças e agravos sempre incluem o nome do paciente e que a responsabilidade pela preservação da privacidade das vítimas de violência será das secretarias de Saúde e dos responsáveis pelo Sinan (Sistema de Informação de Agravos de Notificação).

Ginecologista, Fialho confirma que, até hoje, os médicos e profissionais de saúde só denunciavam os casos de violência com a concordância dos pacientes, a não ser em casos envolvendo crianças e adolescentes, quando, na maioria das vezes, o Conselho Tutelar era acionado.

Para o médico, a inclusão da agressão à integridade física na lista de notificações obrigatórias é um avanço, mas o texto terá que ficar muito claro, já que o tema violência contra a mulher ainda suscita muita polêmica, e cada profissional terá que usar de bom senso, analisando caso a caso, para não cometer injustiças e também não se sujeitar a sofrer processos administrativo e disciplinar.

Responsável pelas delegacias da Mulher de todo o estado de São Paulo, a delegada Márcia Salgado acredita que a notificação obrigatória dos casos de violência, principalmente sexual, vai possibilitar o acesso das autoridades responsáveis por ações de combate à violência contra a mulher a números mais realistas do problema. De acordo com ela, os casos de agressão contra a mulher não tinham que ser obrigatoriamente notificados à autoridade policial.

"A lei determina que cabe à vítima ou ao seu representante legal tomar a iniciativa de comunicar a polícia. No momento em que isso passa a ser de notificação compulsória e a equipe médica tem que informar a autoridade de Saúde, fica mais fácil termos um número mais próximo da realidade", disse a delegada à Agência Brasil, destacando a importância de que a privacidade das vítimas de violência, principalmente sexual, seja preservada.

Da Agência Brasil

ENEM e SiSU Aprovados

Embora haja muito barulho da mídia financiada pela chamada "indústria dos cursinhos e vestibulares" os números finais do ENEM e SiSU revelam o êxito da estratégia, mesmo com alguns aspectos a serem corrigidos. O ENEM 2010 teve 4,6 milhões de inscritos. Das 83.125 vagas de ensino superior oferecidas via Sistema de Seleção Unificada (SiSU) neste primeiro semestre de 2011, apenas 176 não receberam inscrições. O número equivale a 0,2% do total o mesmo que dizer que um em cada 500 lugares oferecidos nas instituições – todas públicas – continua em aberto. O total de vagas remanescentes deve crescer depois do próximo dia 31 quando termina o prazo para os 82.949 aprovados na primeira chamada se matricularem. Serão somadas a estas 176 vagas, que já não tiveram procura, todas as outras em que a matrícula não for efetivada pelo inscrito.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Professor robô .... literalmente

Filme de ficção científica ou realidade cada vez mais próxima do dia a dia do mundo do século XXI? Deixamos para vocês, leitores, opinarem. O fato é que em Daegu, Coréia do Sul, uma escola resolveu inovar. Colocou 30 robôs-professores em 20 escolas de Ensino Fundamental para ver a reação das crianças e verificar se o nível de aprendizagem melhoraria. A experiência, na avaliação do Governo do país, foi aprovada. As máquinas, criadas pelo Instituto de Ciência e Tecnologia do país, tem a intenção de ensinar a língua inglesa para alunos sul-coreanos que não têm contato com o idioma. A meta é implementar a ação.

O robô atende pelo nome de Engkey e parece com um ovo, inclusive nas cores. Sua locomoção é realizada através de quatro rodas. Possui braços articulados que auxiliam na interação com os alunos. Ele é controlado ao vivo por professores de verdade, que se encontram nas Filipinas. Tem pouco mais de 1 metro de altura e possuem uma tela que capta e mostra o rosto do professor que está, à distância, dando a aula. Os “Engkey” ainda conseguem ler os livros físicos dos alunos e dançar, movimentando a cabeça e os braços

Segundo Sagong Seong-Dae, cientista do Instituto, a questão financeira contou para a substituição do humano pela máquina. “Com boa formação e experiência, os professores filipinos são uma mão-de-obra mais barata do que os daqui”, contou ao site britânico Daily Mail.
Kim Mi-Young, uma oficial do departamento de educação do país, afirmou também ao site que a experiência foi bem-vinda. “As crianças parecem amar os robôs porque eles são bonitinhos. Mas alguns adultos também mostraram um interesse especial afirmando que se sentem menos nervosos de conversarem com máquinas do que com pessoas de verdade”, contou.

Mi-Young fez questão de destacar, no entanto, que os robôs não vão substituir completamente a atuação dos professores humanos, apesar do investimento governamental de cerca de US$ 1,5 milhão, algo em torno de R$ 2,5 milhões. Cada robô tem o preço de aproximadamente R$ 12 mil.

Do site http://www.revistapontocom.org.br

Lei Maria da Penha pode ter interpretação alterada

Os processos envolvendo a Lei Maria da Penha poderão ser suspensos condicionalmente, em período de quatro anos, conforme determinação da Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Segundo a Corte, a suspensão do processo dependerá do comportamento do réu e da reparação dos danos causados, quando possível.

A mudança na interpretação da lei pelo STJ ocorreu em dezembro de 2010, mas só foi divulgada nesta semana. A Corte entendeu que a Lei Maria da Penha é compatível com a Lei de Juizados Especiais, que permite a suspensão de pena nos casos em que a condenação for de um período inferior a um ano.

Segundo o relator, Celso Limongi, a medida tem caráter pedagógico para o agressor, pois o processo pode voltar a correr em caso de reincidência. Em entrevista à Radioagência Nacional, a farmacêutica Maria da Penha, que empresta seu nome à Lei 11.340/06, discorda do desembargador. Ela ficou paralítica depois de sofrer inúmeras agressões e duas tentativas de homicídio por parte do marido.

“A cultura da nossa sociedade, infelizmente é muito machista e ainda vai me surpreender muito em relação à aplicabilidade da lei Maria da Penha. No momento em que um juiz, um desembargador, uma autoridade passa a mão na cabeça de um agressor, ele não conhece a realidade do que é a violência doméstica no país. Saiu uma pesquisa revelando que no país cerca de dez mulheres morrem diariamente em decorrência da violência doméstica.”

Dados da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República apontam que o serviço de atendimento às vítimas recebeu mais de 340 mil denúncias de violência doméstica de janeiro a julho de 2010.

De São Paulo, da Radioagência NP, Jorge Américo.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Juventude otimista

A juventude brasileira é a segunda mais otimista em relação ao seu futuro
pessoal e a terceira a considerar que as perspectivas de seu país são
promissoras, segundo a pesquisa “2011 – A Juventude do Mundo”, divulgado
pela Fundação para a Inovação Política (Fundapol) da França na noite de
terça-feira.

A pesquisa revela as aspirações, os valores e as preocupações atuais dos
jovens no mundo. Ela foi realizada em 25 países em cinco continentes, com
32,7 mil pessoas.

Segundo o estudo, 87% dos jovens brasileiros consideram que seu futuro
será promissor, atrás apenas dos indianos (90%).

Em relação ao futuro de seus países, o otimismo dos jovens do Brasil fica
em terceiro lugar: 72% acreditam que ele também será promissor. Na Índia,
o índice foi de 83% e, na China, de 82%.

No entanto, apenas 17% dos jovens gregos, 23% dos mexicanos, 25% dos
alemães e 37% dos americanos consideram que o futuro de seus países será
promissor.

Os jovens das grandes potências emergentes também são os que mais têm
confiança de que terão um bom emprego no futuro. No Brasil, esse índice é
de 78%. No Japão, somente 32% acham que isso irá ocorrer.

A juventude da Índia, da China e do Brasil também é a que mais vê a
globalização como uma oportunidade e não como uma ameaça. Os números são,
respectivamente, 91%, 87% e 81%.

“De uma maneira geral, se considerarmos outros itens da pesquisa, podemos
considerar que a juventude brasileira é de longe a campeã de otimismo”,
disse à BBC Brasil Dominique Reynié, coordenador-geral do estudo e diretor
do centro de estudos francês Fondapol.

Poluição

O vasto estudo, que totaliza mais de 26 mil páginas, abordou 224 temas
variados, que vão desde questões econômicas, como emprego e aposentadoria,
à confiança nas instituições políticas ou na polícia, além de assuntos
ligados à religião, família, sexo, ecologia e internet, entre outros.

Alguns elementos dessa ampla pesquisa, que ainda está sendo compilada em
um livro de cerca de 500 páginas, foram divulgados em um evento na noite
de terça-feira em Paris.

Segundo a pesquisa, os jovens chineses são os mais preocupados com a
poluição (51%). Em uma questão sobre as três maiores ameaças para a
sociedade, a poluição, para os chineses, representa um problema maior do
que a fome ou a pobreza (43%).

Já no Brasil, 61% afirmam que temem mais a fome ou a pobreza do que a
poluição (45%), como na maioria dos países que integram o estudo.

A juventude brasileira é a quarta que se diz mais disposta a dedicar tempo
à religião (58%), atrás do Marrocos (90%), da África do Sul (72%) e da
Turquia (64%) e à frente de Israel (52%). Já na França e na Espanha, esse
índice é de apenas 15%.

Mais de um terço dos jovens brasileiros acha que as relações sexuais só
devem ser permitidas no casamento, segundo a pesquisa. A média da União
Europeia é de 20%.

Em relação às prioridades para os próximos 15 anos (o questionário
permitia escolher três em uma lista de dez), 60% dos jovens indianos
afirmam que querem ganhar muito dinheiro.

Mas apenas 24% responderam que ter filhos é um dos projetos importantes
nesse período.

No Brasil, ganhar muito dinheiro também é uma prioridade para 47% dos
jovens (média semelhante à da União Europeia).

E 39% afirmam que ter filhos é um dos três projetos prioritários nos
próximos 15 anos, diz o estudo.

A pesquisa descobriu ainda que 39% dos jovens brasileiros dizem não estar
dispostos a pagar pelas aposentadorias das gerações anteriores, somente
27% dizem confiar no Congresso e 62% preferem uma sociedade com
distribuição de riquezas a uma sociedade que recompensa o esforço
individual – índice próximo aos dos países escandinavos ou da França e bem
acima dos outros grandes países emergentes.

Por Daniela Fernandes,De Paris para a BBC Brasil

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Proteção dos direitos das crianças em situação de emergência

Os relatos da mídia sobre a situação de crianças na região serrana do Rio de Janeiro após as cheias que provocaram a tragédia que até o momento vitimou fatalmente mais de 700 pessoas e atingiu quase 100 mil pessoas levanta uma questão importante para o sistema de garantia dos direitos da infância: como atuar para proteger as crianças em meio às calamidades? Os relatos de crianças separadas das famílias, encaminhadas a abrigos e desaparecidas revela a necessidade de implementar iniciativas de proteção para reduzir, o máximo possível, os impactos que as circunstâncias geram. No meio do milhares de voluntários bem intencionados infelizmente sempre surgem idéias de flexibilizar critérios para guarda e adoção de crianças que atendem mais a interesses pessoais que das próprias crianças. Felizmente os Conselho de Direitos, Tutelar e a Justiça parecem ter se antecipado e mantém um controle da situação no caso do Rio. Mas a situação expõem um tema que precisa ser aprofundado para garantir que o interesse superior da criança seja assegurado mesmo em situações de emergência.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Estudantes atingidos por enchentes vão receber bolsas do MEC

Estudantes que vivem em cidades atingidas por enchentes e deslizamentos de terra no estado do Rio de Janeiro vão receber bolsas de assistência estudantil, de acordo com nota divulgada hoje (17) pelo MEC (Ministério da Educação).
De acordo com a pasta, os alunos beneficiados precisam ter sido selecionados para cursos de educação superior pelo Sisu (Sistema de Seleção Unificada) ou para obtenção de bolsas do Prouni (Programa Universidade para Todos). A assistência equivale a ajuda de custo de R$ 350 por mês.
Dados do ministério apontam que, na região fluminense afetada pelas enchentes, 9,5 mil estudantes fizeram o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), cujas notas são usadas no processo de seleção do Sisu.
O MEC informou que vai oferecer acesso gratuito à internet em lan houses das cidades afetadas pelas chuvas para que os estudantes possam fazer a inscrição no Sisu. Todos os campi dos institutos federais de educação, ciência e tecnologia do Rio de Janeiro e Fluminense e do Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet) do Rio de Janeiro liberaram o acesso à internet aos estudantes. O prazo para inscrição vai até a próxima quinta-feira (20).
Em Teresópolis, os estudantes têm acesso liberado à internet na Avenida Oliveira Botelho 87, Bairro Alto. Em Nova Friburgo, na Rua Alberto Brauen, 227. Em Petrópolis, no campus do Cefet, prédio do antigo fórum, no centro da cidade. Todos os pontos foram instalados ontem (16).

Paula Laboissière da Agência Brasil
Em Brasília