quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Tarabalho infantil ainda é desafio

Rio - Apesar de ter um dos menores índices de trabalho infantil do País, o Rio de Janeiro é uma das prioridades do Ministério do Desenvolvimento Social, devido ao registro de pequeno acréscimo no número de crianças fluminenses nessas condições. Há 11 estados nessa situação, que receberão atenção especial do governo.

Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) e o estudo ‘Estado das Crianças no Mundo’, do Unicef, dos 2,3 milhões de crianças de 5 a 14 anos, 25 mil foram submetidas ao trabalho no estado. Os índices mais baixos estão no Rio, Distrito Federal, São Paulo e Amapá — com até 1% de trabalho infantil. No topo do ranking, com até 10%, estão Piauí, Ceará, Rondônia e Tocantins.

Questionada sobre os números no País, a diretora da Secretaria Nacional de Assistência Social do Ministério do Desenvolvimento Social, Margarete Cutrim, diz que o universo de crianças e adolescentes de 5 a 15 anos nesta condição é de 2,060 milhões no País. “Saímos de 2,145 milhões para 2,060 milhões. A taxa caiu de 5,84% a 5,63%, de 2008 para 2009, variação negativa 0,21%. É possível, então, comemorar o Dia da Criança. Temos no País cada vez mais crianças e adolescentes exercendo o direito de serem criança”, avalia

POR LUCIENE BRAGA para O DIA

Nenhum comentário:

Postar um comentário