domingo, 17 de outubro de 2010

Quero ser professor

"Quem quer ser professor", pergunta a orientadora pedagógica da Escola Classe 405 Norte à turma da 4ª série. Wallacy Pereira Silva, dez anos, levanta o dedo. "Eu!", diz o garoto que, ao contrário dos meninos da mesma idade, não quer ser o próximo fenômeno do futebol. Ele resolveu que vai ser professor para ajudar as pessoas.

Os pais de Wallacy não completaram o ensino fundamental, mas incentivam os três filhos a se dedicarem aos livros. Tanto que o caçula já sonha com a Universidade de Brasília, apesar de só conhecê-la pela paisagem que enxerga através da janela do ônibus. "Um dia vou pegar esse ônibus pra lá", pensa sempre que vê às inicias UnB nos letreiros.

Wallacy tem a convicção dos idealistas: "Quero dar aulas em escola pública porque lá está quem mais precisa". Ele não se abala quando uma professora cita as dificuldades financeiras enfrentadas pelos mestres. "Eu penso mais pela educação", diz. "O dinheiro também é bem-vindo, mas o mais importante é a educação", completa. O menino fala dos altos "índices de analfabetização do Brasil" e diz que pretende "fazer a educação que todos precisam".

O futuro professor já sabe que a escola oferece mais que os livros. "A gente não vem para a escola só para aprender o Português e a Matemática", diz. "A gente vem para aprender um pouco da vida". No caso de Wallacy, este aprendizado exige que ele acorde às 5h da manhã e cumpra de ônibus o trajeto de quase uma hora entre São Sebastião e o Plano Piloto.

Interessante reportagem da Universidade de Brasília em homenagem ao dia do professor em: http://www.unb.br/noticias/unbagencia/unbagencia.php?id=4044

Nenhum comentário:

Postar um comentário