terça-feira, 26 de outubro de 2010

Medida contra o bullying

Em uma carta de 10 páginas, enviada hoje a milhares de distritos escolares e faculdades, o departamento de Educação dos EUA convoca educadores de todo o país para garantir que estejam cumprindo com as suas responsabilidades para impedir o assédio e bullying, como previsto nas leis federais. A carta é o produto de um ano de trabalho na revisão dos estatutos federais e jurisprudência abrangendo assédio sexual, racial e outras formas. A medida responde à urgência nas últimas semanas em função de situações extremas ocorridas, inclusive com o caso de aluno que cometeu suicídio depois de sofrer intimidação de colegas. O texto esclarece as responsabilidades legais das autoridades em escolas públicas e nas faculdades e universidades. Certas formas de intimidação e bulling dos alunos violam a lei federal contra a discriminação. De acordo com dados coletados pela área de investigação do departamento,no ano passado, um terço de todos os alunos com idades de 12 a 18 anos sentiu-se intimidado, vítima de bullying ou perseguido na escola.

A notícia foi divulgada nos jornais americanos como um "finalmente alguém toma alguma atitude".

O tema também vem sendo discutido no Brasil e a falta de orientação aos professores é visível. Uma medida para esclarecer o tema e preparar os professores para enfrentá-lo precisa ser tomada com urgência. Antes que fatos mais graves ocorram.

Nenhum comentário:

Postar um comentário