quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Índice de Expectativas das Famílias (IEF)

Pesquisa domiciliar do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea),
realizada em 3.810 domicílios distribuídos por mais de 200 municípios em todas as
unidades da federação, o Índice de Expectativas das Famílias (IEF) aponta, em sua
segunda edição, que os brasileiros se mantêm otimistas em relação à situação
socioeconômica do País, com índice de 62,73 pontos em setembro (veja escala abaixo),
valor praticamente idêntico ao do mês passado (62,75 pontos). A região Centro-Oeste,
que apresentava a maior pontuação otimista das famílias em agosto (68,14), mostrou
uma pequena queda em setembro (64,75), sendo ultrapassada pelas regiões Norte e Sul,
com 65,29 e 65,7 pontos respectivamente. Enquanto isso, a região Sudeste se manteve
como a região relativamente menos otimista. Ainda assim, alcançou a região de
pontuação otimista com 60,27 pontos.
A escala de pontuação de expectativas das famílias compreende a seguinte
dimensão no indicador:
· Grande pessimismo de 0 a 20 pontos;
· Pessimismo de 20 a 40 pontos;
· Moderação de 40 a 60 pontos;
· Otimismo de 60 a 80 pontos; e
· Grande Otimismo de 80 a 100 pontos.

A pontuação do IEF para a situação socioeconômica brasileira resulta da
combinação de cinco diferentes dimensões consideradas, a saber:
(i) a expectativa da família sobre a situação econômica nacional;
(ii) a percepção da família sobre a condição financeira passada e a
expectativa futura;
(iii) a expectativa da família sobre decisões de consumo;
(iv) a expectativa da família sobre o endividamento e condições de quitação
de dívidas e contas atrasadas; e
(v) a expectativa da família sobre o mercado de trabalho, especialmente nos
quesitos segurança na ocupação e sentimento futuro de melhora
profissional

Mais informações no site do IPEA www.ipea.gov.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário