quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Contra a fome, distribuição de renda.

Dom Mauro Morelli iniciou citando o Papa João Paulo II : “Não vos resigneis a viver num mundo onde os jovens morrem, passam fome ou são escravos do trabalho” Chamou atenção para a necessidade de ter esperança. Lembrou que quando viveu nos EUA na década de 60 participou do movimento contra o racismo e percebeu o quanto os americanos negros tiveram que lutar para só 40 anos depois eleger um presidente negro. Isto dá motivos para ter esperança. “Eu mesmo com 74 anos espero continuar na ativa. Meus planos de trabalho vão até 2025. Fiquei incomodado quando ouvi dizer nós vamos levar mais 20 anos para vencer a guerra contra o analfabetismo”. Dom Mauro criticou campanha que recomenda lavar as mãos pois o faz lembrar que o gesto era feito antes de se alimentar. “Mas lavar as mão se não tem o que comer não vai adiantar nada” desabafou. Para ele o modelo de desenvolvimento do país precisa se voltar para dar prioridade ao desenvolvimento social . Lembrou uma brincadeira que fez com o Senador Cristóvam Buarque quando este prometeu que se fosse eleito iria garantir que todas as crianças estarão na escola a partir dos 4 anos de idade . Dom Mauro propôs fazerem uma chapa para a Presidência da República na qual na próxima eleição ele seria o Presidente e o Cristovam seria vice. “ Nos primeiros 4 anos eu vou fazer tudo para que elas não morram de fome, aí no próximo mandato você será o Presidente e poderá cuidar delas na escola”

Dom Mauro atacou a concentração de renda lembrando que o país é o maior concentrador de renda das Américas. Lembrou que um estado como Mato Grosso do Sul tem pouco mais de dois milhões de habitantes e tem 20 milhões de cabeças de gado. Como é possível haver tanta desnutrição e fome especialmente das crianças indígenas naquele Estado?

De Belém do Pará - IV Conferência Internacional de Direitos Humanos da OAB

Nenhum comentário:

Postar um comentário